quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Renovação de votos

 Sou insegura pra caralho. Desculpe por isso.

Eu vivo brigando com você. Discuto, faço birra, pirraça. Você se entristece e tenta me convencer do seu amor. Não entende que seu amor nunca me convenceu e nunca convencerá. Eu sinto e não preciso de provas. É como o ar que respiro. Não posso tocar, mas sei que está ali e me mantém viva.

A verdade é que brigo comigo mesma. Porque eu não confio na minha sorte e não me sinto capaz de fazê-la por conta própria, porque eu já ouvi muitas vezes que não sou boa o bastante, porque é difícil demais acreditar que, apesar de te conhecer quando queria o errado, deu tudo certo.  Está dando tudo certo, apesar dos infortúnios.

Adormeci nos seus braços, acordei e me dei conta de que era a garota mais feliz do mundo. Mas mesmo assim, quando sinto qualquer ameaça se aproximar, duvido que isso seja realidade e me convenço de que isso tudo é só um sonho. O melhor sonho que já tive.

Você não consegue entender. Eu viro a cara, faço bico, e você começa a falar no meu ouvido, fazendo todas as declarações de amor que derreteriam qualquer garota normal. Mas eu fico tentando me fazer de difícil pra não te ensinar como fazer minha raiva passar, pra você não aprender a se safar das dúvidas que eu crio na minha mente.

Não consigo. Deixo um sorrisinho escapar, te dou um beijo envergonhado, arrependida da tortura que te impus, e mudo de assunto sorrateiramente. Faço uma piadinha besta, um comentário engraçado sobre algum transeunte barbudo, qualquer coisa menos importante e que possa varrer minha dureza pra debaixo do tapete.

Te convido pra um sorvete e, assim, fujo sem deixar pistas da besteira que fiz. E sempre terminamos nos beijando e declarando nosso amor, mesmo depois de todos os meus ataques.

Depois de todos os meus ataques, você continua lá. E o nosso amor continua lá. E nós continuamos sendo nós. E minhas ilusões continuam sendo besteiras, e que assim seja até que não haja mais insegurança. E então seremos apenas nós, e nenhuma briguinha boba, e nenhuma ameaça, ninguém pra atrapalhar. Nada. Só nós.

Mas por enquanto, aproveite meus ataques pra renovar as declarações de amor. Aproveite meu arrependimento pra saborear o sorvete, e aproveite as pazes pra me dar aquele beijo mais apaixonado enquanto esperamos o sinal fechar. Não deixe passar a oportunidade de me convencer do que já sei. Amor é isso também. É renovar os votos depois de cada bobagenzinha. É ser chato, dar "boa noite" cinco vezes, conversar por duas horas, é ser eu e você. Para sempre.

Isabela Moraes
01/11/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário