segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Porto

Há um cais do porto em mim, enferrujado, feito de chegadas e partidas, feito da espera por um grande amor, feito dos encontros eternizados em abraços cheios de saudades, há âncoras esquecidas e há correntes quebradas o no fundo da límpida e salgada água onde molho os pés enquanto choro, há um sorriso que o dourado pôr do sol desperta, há lembrança e esquecimento de quem certo dia atracou, de quem se despediu ao amanhecer, e foi com a maré, há um coração  inocente  entregue ao mais leviano marinheiro, há um pouco de mim e um tanto de você, há amor e há também abandono, há noivos em núpcias e há viúvas de guerra, há presença e também há falta, há vida e há morte, há desespero e há também esperança. Ah, amor, não sabes o quanto te esperei, sob chuva e sob sol, encarando o vento salgado que me cegou e endureceu meu coração. Ah, amor, há Amor e é teu, ancore aqui e me beije até enferrujar, fique e faça em mim tua casa.

14/12/15
Isabela C Moraes

"Come with me

My love
To the sea
The sea of love
I want to tell you
how much
I love you"
Cat Power - Sea of Love

Nenhum comentário:

Postar um comentário